64-Tártaro

15/06/2013 23:51

Tártaro
Condição semelhante à de prisão, degradada, na qual Deus lançou os anjos desobedientes nos dias de Noé.
Esta palavra ocorre uma só vez nas Escrituras inspiradas, em 2 Pedro 2:4. O apóstolo escreve: “Deus não se refreou de punir os anjos que pecaram, mas, lançando-os no Tártaro, entregou-os a covas de profunda escuridão, reservando-os para o julgamento.” A expressão “lançando-os no Tártaro” é uma tradução do verbo grego tar‧ta‧ró‧o, que inclui em si mesmo a palavra “Tártaro”.
Há um texto paralelo em Judas 6: “E os anjos que não conservaram a sua posição original, mas abandonaram a sua própria moradia correta, ele reservou com laços sempiternos, em profunda escuridão, para o julgamento do grande dia.” Mostrando quando foi que tais anjos “abandonaram a sua própria moradia correta”, Pedro menciona os “espíritos em prisão, os quais outrora tinham sido desobedientes, quando a paciência de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se construía a arca”. (1Pe 3:19, 20) Isto liga diretamente o assunto ao relato em Gênesis 6:1-4 a respeito dos “filhos do verdadeiro Deus” que abandonaram a sua morada celestial para coabitar com mulheres em tempos pré-diluvianos e produziram filhos por meio delas, sendo tais descendentes chamados de nefilins. — Veja FILHO(S) DE DEUS; NEFILINS.
À base destes textos, é evidente que Tártaro é uma condição em vez de um lugar específico, uma vez que Pedro, por um lado, fala desses espíritos desobedientes como estando em “covas de profunda escuridão”, ao passo que Paulo os menciona como estando nos “lugares celestiais”, a partir de onde eles exercem um domínio de escuridão, como forças espirituais iníquas. (2Pe 2:4; Ef 6:10-12) A densa escuridão, similarmente, não é uma falta literal de luz, mas resulta de serem cortados da iluminação proveniente de Deus, como renegados e expulsos de Sua família, tendo apenas uma perspectiva tenebrosa quanto ao seu destino eterno.
O Tártaro não é, pois, a mesma coisa que o termo hebraico Seol, ou o grego Hades, os quais se referem à sepultura terrestre comum de toda a humanidade. Isto se torna evidente do fato de que, ao passo que o apóstolo Pedro mostra que Jesus Cristo pregou a estes “espíritos em prisão”, ele também indica que Jesus o fez, não durante os três dias em que se achava sepultado no Hades (Seol), mas depois de ser ressuscitado do Hades. — 1Pe 3:18-20.
Semelhantemente, a condição degradada que é representada pelo Tártaro não deve ser confundida com o “abismo” em que Satanás e seus demônios serão por fim lançados durante os mil anos do reinado de Cristo. (Re 20:1-3) Pelo visto, os anjos desobedientes foram lançados no Tártaro nos “dias de Noé” (1Pe 3:20), mas, uns 2.000 anos depois, encontramo-los suplicando a Jesus que “não lhes ordenasse que se afastassem para o abismo”. — Lu 8:26-31; veja ABISMO.
A palavra “Tártaro” também é empregada nas mitologias pagãs pré-cristãs. Na Ilíada, de Homero, representa-se este mitológico Tártaro como prisão subterrânea ‘tão abaixo do Hades quanto a terra é do céu’. Nele eram aprisionados os deuses inferiores, Cronos e outros espíritos titãs. Como vimos, o Tártaro da Bíblia não é um lugar, mas sim uma condição e, por conseguinte, não é o mesmo que o Tártaro da mitologia grega. Contudo, é digno de nota que o mitológico Tártaro não era apresentado como lugar para seres humanos, mas sim para criaturas sobre-humanas. Portanto, há uma similaridade neste sentido, uma vez que o Tártaro bíblico obviamente não é para a detenção de almas humanas (compare isso com Mt 11:23), mas apenas para iníquos espíritos sobre-humanos que são rebeldes contra Deus.
A condição de total degradação, representada pelo Tártaro, é precursora do abismar que Satanás e seus demônios sofrerão antes do início do Reinado Milenar de Cristo. A isso se seguirá, por sua vez, após o fim dos mil anos, a completa destruição deles na “segunda morte”. — Mt 25:41; Re 20:1-3, 7-10, 14.

 

 

 

 

Inferno, Seol, Hades, Gehena, Tártaro

 

         Existe mesmo um lugar de fogo literal, onde os pecadores perdidos vão ficar presos, por toda a eternidade?
         A Bíblia foi escrita em três línguas: hebreu, caldeu e grego. A Bíblia que temos hoje em dia foi traduzida para o português destas três línguas. Há muitas traduções da Bíblia. A mais popular é a Corrigida. A Corrigida ultrapassa a maioria das versões da Bíblia em exatidão, beleza e legibilidade. Também tem por sua base o manuscrito grego "Texto Recebido".

A PALAVRA "INFERNO" NA VERSÃO CORRIGIDA

        Há quatro palavras para "inferno" na versão corrigida. Destas quatro, só uma é usada no Velho Testamento. É a palavra hebraica "Seol". No Novo Testamento as outras três palavras para"Inferno" são: "Hades", "Gehena" e "Tártaro"; todas naturalmente são palavras gregas.

QUAL O SIGNIFICADO DESTAS PALAVRAS?

        Temos de olhar no hebreu e no grego para entender o significado destas palavras. A palavra inferno, no português, não nos dará o significado nem no hebreu nem no grego.

 

·         1. A palavra hebraica "Seol" no Velho Testamento é traduzida assim:

        "Inferno", 28 vezes: Deuteronômio 32:22; 1 Samuel 22:6; Jó 11:8, 26:6; Salmos 9:17, 16:10, 18:5, 116:3; Provérbios 5:5, 9:18, 15:11, 15:24, 23:14, 27:20; Isaías 14:9, 14:11, 14:15, 28:15, 28:18, 57:9; Ezequiel 31:15, 16, 17, 32:21; Oséias duas vezes 13:14; Amós 9:2; Jonas 2:2.
        "Sepultura", 27 vezes: Gênesis 37:35, 42:28, 44:29. 44:31, 1Samuel 2:6; 1Reis 2:6, 2:9, Jó 7:9, 14:13, 17:13, 21:13, 24:19; Salmos 30:3, 31:17, 49:14, 49:15, 86:13, 116:3, 139:8, 141:7; Provérbios 1:12, 7:27, 30:16; Eclesiastes 9:10, Cantares de Salomão 8:6; Isaías 5:14, 38:10, 38:18.
        "Sepulcro", 5 vezes: Números 16:30, 16:33; Salmo 6:5; Ezequiel 32:27; Habacuque 2:5.
        "Enterrado", 1 vez: Salmo 49:14.
        "Terra", 1 vez: Salmo 55:15.
         "Seol", 2 vezes: Jó 17:16; Salmo 139:8.
        "Mundo Invisível", 1 vez: Salmo 89:48.
         O Dicionário Hebreu e Caldeu de Strong diz que "Seol" é "o mundo dos mortos".
         A Concordância Analítica de Young diz que "Seol" é "o estado invisível".
         O Dicionário de Smith diz que "Seol" é "sempre a habitação dos espíritos dos mortos".
         O dicionário e Enciclopédia Bíblica de Fausset diz que "Seol" é "o receptáculo comum dos mortos.
         Fica claro, então, que Seol não é só inferno, mas é o lugar dos espíritos, não importa se salvos ou perdidos. É simplesmente um termo "significando o estado do morto, em geral, sem qualquer restrição de felicidade ou miséria". Contudo, em muitos exemplos onde a palavra é usada, a referência torna claro que era na parte de Seol (Inferno) que os maus eram castigados. Salmo 9:17. Em outros exemplos a referência torna claro que era na parte de Seol (Paraíso) que os salvos eram abençoados.

 

·         2. "Hades" é a palavra grega no Novo Testamento, que é traduzida deste modo na versão Corrigada:

         "Inferno", 8 vezes: Mateus 11:23, 16:18; Lucas 10:15; 1 Coríntios 15:55; Apocalipse 1:18, 1:18, 6:8, 20:13, 20:14.
        "Hades", 3 vezes: Lucas 16:23; Atos 2:27, 2:31.
         Mas "Hades" como o "Seol" não é só o inferno. Na verdade, "Hades" é a palavra correspondente ao hebraico "Seol" e as duas tem o mesmo significado.
         O Dicionário Grego do Novo Testamento de Strong diz que "Hades" é o lugar (estado) das almas".
         A Concordância de Young afirma: "O mundo invisível".
         A. T. Robertson, mundialmente conhecido como erudito grego, afirma: "O Hades é tecnicamente o mundo invisível, o Seol hebreu, a terra dos mortos".
         Pedimos ao leitor que leia Lucas 16:19-31, onde há uma ilustração para o Seol (Hades). Esta passagem abre a cortina e nos deixa dar uma olhada na "terra dos mortos".
         Portanto, é óbvio que "Hades" (Seol) tem dois lados (compartimentos): um lado que é chamado o "Inferno", um outro lado que é chamado o "Paraíso". Lucas 16:19-31. Entre os dois lados tem um grande abismo que está posto, de sorte que os que quisessem passar de um lado para outro não poderiam. O inferno é onde os perdidos estão sofrendo a ira de Deus agora. Eles ficarão no inferno até o Grande Trono Branco quando serão julgados por Deus e lançados no Lago de Fogo (Gehena) para a eternidade. Antes da ressurreição de Cristo os salvos foram para o Paraíso. Quando Jesus Cristo ressuscitou dos mortos Ele levou todos os crentes que estavam no Paraíso para ficar com Ele lá no céu para sempre. Então, agora todo crente que morre vai logo ficar com Jesus no céu. Efésios 4:8-10. 2 Coríntios 5:8.

 

·         3. "Gehena" ou "Lago de Fogo" é a palavra grega que realmente significa inferno.     

        Ela nunca é traduzida por nenhuma outra palavra. É sempre inferno, e dez das onze vezes em que é usada, foi pronuciada pelo próprio Jesus Cristo. Aqui está uma lista com as passagens onde a palavra "Gehena" aparece: Mateus 5:22, 5:29, 10:28, 18:9, 23:15, 23:33; Marcos 9:43, 9:45, 9:47; Lucas 12:5; Tiago 3:6.
         A palavra "Gehena" é de origem hebraica; vem de "vale" e "Hinom". "É o Vale de Hinom, onde o fogo queimava sem cessar", A. T. Robertson.
         O Vale de Hinom era um lugar perto de Jerusalém, onde Acaz iniciou a adoração aos deuses do sol e do fogo, Baal e Moloque. Os judeus sob o domínio do ímpio Manassés, ofereciam seus filhos como ofertas queimadas nesta adoração idólatra, Jeremias 7:31. Esta adoração cruel foi finalmente abolida, e mais tarde, Josias tornou o lugar um receptáculo de carcaças de animais e corpos de malfeitores (criminosos), nos quais os vermes se reproduziram continuamente. Um fogo perpétuo era mantido para consumir a matéria apodrecida. O lugar ainda existia no tempo de Cristo e o Salvador o usou para ilustrar as condições do inferno, "O inferno de fogo", ao se referir a este vale.
         Jesus se referiu ao Inferno como o "inferno de fogo", no qual tanto "o corpo quanto a alma" serão lançados. Ele disse que lá "o fogo nunca se apaga" e onde "o seu bicho (o homem) não morre".
         O Inferno não é uma lenda como os ateus, Testemunhas de Jeová, Adventistas, Universalistas e Modernistas gostariam que você acreditasse. Cristo não avisou sobre o Inferno só para fazer medo aos homens. Ele fez isto porque o Inferno é real!

 

·         4. "Tártaro", a quarta palavra traduzida por "inferno" é usada só uma vez no Novo Testamento grego, 2 Pedro 2:4.

        O Dicionário Grego do Novo Testamento de Strong diz que "Tártaro" é "o abismo mais profundo do Hades" (exemplo - Apocalipse 20:3) e que a palavra significa "encarcerar (aprisionar) em tormento eterno".
         A. T. Robertson define: "A habitação tenebrosa e sombria dos mortos ímpios, como o Gehena dos judues".
         O Dicionário de Fausset define: "O profundo ou abismo ou poço do abismo".

FOGO NO INFERNO

        Deixando as passagens que contém estas quatro palavras traduzidas por 'Inferno", vamos notar outras que nos ensinarão sobre o inferno com palavras que podemos facilmente entender.

 

"Asim será na consumação dos séculos: virão os anjos, e separarão os maus de entre os justos, e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes".  Mateus 13:49-50


 

"E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna".  Mateus 25:46


 

"E abriu o poço do abismo, e subiu fumaça de uma grande fornalha, e com a fumaça do poço escureceu-se o sol e o ar".  Apocalipse 9:2


 

"Também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não msiturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro".  Apocalipse 14:10-11


 

"E a besta foi presa, e com ela o falso profeta, que diante dela fizera os sinais, com que enganou os que receberam o sinal da besta, e adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com exofre".  Apocalipse 19:20


 

"E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre". "E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo".  Apocalipse 20:10 e 15


         Não seja enganado por aqueles que negam o fogo do inferno. Estes falsos profetas são inimigos de sua alma. Leia estas passagens sozinho, e jogue no fogo a literatura sem valor, que tenta negar as verdades simples da Palavra de Deus.

O FOGO ETERNO

        Tenho uma revista Sentinela (Russelita ou tão chamados Testemunhas de Jeová), que tenta negar o fato de que a Bíblia fala sério em passagens tais como:

 

"Portanto, se a tua mão ou o teu pé escandalizar, corta-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida coxo, ou aleijado, do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno".  Mateus 18:8


         A palavra grega para 'eterno' é aionios. Significa "sem começo" e "sem fim", eterno. É usada em Romanos 16:26 referindo-se a Deus, "do Deus eterno" ( aionios). Este uso da palavra devia nos mostrar claramente o significado de "eterno".
         A. T. Robertson diz sobre esta palavra: "É a idéia de eterno mais exata que o grego pode colocar numa palavra. É uma idéia difícil de se traduzir".
         A mesma palavra (aionios) é usada para descrever a vida futura dos justos e o castigo futuro dos maus em 

Mateus 25:46: "E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna".

 

        Se o castigo dos maus for limitado, podemos também limitar a vida dos justos! Mas isto não pode ser feito.

PARA TODO O SEMPRE

        Esta frase "PARA TODO O SEMPRE" (eis aionas aionon): ocorre 23 vezes no Novo Testamento: referindo-se a Deus, 19 vezes; as bênçãos futuras dos crentes, 1 vez; ao castigo dos maus e de Satanás, 3 vezes.
         Será que uma palavra pode significar eternidade absoluta 20 vezes, e só um período limitado as outras 3 vezes? Que tolice!
         A morte nunca é uma aniquilação na Bíblia. É sempre uma separação. A morte de Adão foi uma separação de Deus, Gênesis 2:17, 3:23-24. A morte de Cristo foi uma separação de Deus, Mateus 27:46. A morte física é a separação da alma do corpo, Lucas 16:22-23. A segunda morte é a separação final e eterna das pessoas não salvas no "lago de fogo". Apocalipse 20:11-15. Para ter a certeza de que a segunda morte não é uma aniquilação leia Apocalipse 20:10.
         Destruição também não significa aniquilação. Uma coisa pode ser destruída sem ser aniquilada. Há muita destruição de propriedades, de bens, de edifícios, etc. numa guerra, mas tais coisas não são aniquiladas.
         Se você ainda está perdido, leitor amigo, então seu destino será a separação eterna de Deus no Gehena de fogo, a menos que olhe para Jesus, que foi separado para que os pecadores pudessem ter a vida eterna. Se notar sua culpa diante dEle e ficar ciente de que não merece nada, a não ser o Inferno, por causa dos seus pecados contra o Deus Santo e Justo, há esperança para você. Ouça:

 

"Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos salvos por ele da ira". Romanos 5:8-9.


         Cristo sofreu o inferno, separação de Deus, por todos aqueles que dependem completamente dEle. 


 

"Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus". I Pedro 3:18.

 

"Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus". 2 Coríntios 5:21.


         Olhe para Cristo, para ter a redenção do pecado, da morte e do inferno.

 

Autor: Diversos

 

Fonte:

http://www.estudosgospel.com.br