12-OS APÓCRIFOS SÃO CITADOS NA BÍBLIA?

08/06/2013 22:01

Os apócrifos são citados no Novo Testamento?

Os livros apócrifos (também chamados de pseudocanônicos) são assim classificados por serem livros escritos por comunidades ditas cristãs e pré-cristãs que não foram incluídos no cânon bíblico pela comunidade verdadeiramente cristã nos primeiros séculos.

A Igreja Católica Apostólica Romana acrescenta ao cânon do Antigo Testamento sete livros que não são usados pelos judeus e pelos protestantes (Tobias, Judite, I e II Macabeus, Sabedoria de Salomão, Eclesiástico e Baruc), além de dois textos adicionais, ‘História de Suzana’ em Ester e ‘Bel e o dragão’ em Daniel.

Uma das teses usadas pelos católicos para buscar o status de inspirados aos apócrifos (chamados por eles de deuterocanônicos, ou seja, de segundo cânon) está no argumento de que o Novo Testamento faz referência a estes livros centenas de vezes. Façamos então uma investigação para ver se tal argumento realmente procede.

Alguns sites católicos[1] chegam a publicar uma lista, referenciando cada versículo do Novo Testamento ao versículo do apócrifo ao qual supostamente recebe a citação.

Para tal análise, usarei as duas primeiras referências da lista constante nestes sites: Mt 4:4 = Sb 26:16 e Mt 4:15 = 1Mc 5:15.

1) Mt 4:4 = Sb 16:26;

“Jesus respondeu: Está escrito: Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus (Dt 8,3).” [2] [Mt 4:4 – Versão Católica Ave Maria]

“para que os filhos que vós amais, Senhor, aprendessem que não são os frutos da terra que alimentam o homem, mas é vossa palavra que conserva em vida aqueles que crêem em vós.” [3] [Sb 16:26 – Versão Católica Ave Maria]

Estes textos podem ser parecidos, porém Jesus refere-se a [Dt 8:3] quando diz que está escrito:

“Humilhou-te com a fome; deu-te por sustento o maná, que não conhecias nem tinham conhecido os teus pais, para ensinar-te que o homem não vive só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor.” [4] [Dt 8:3 – Versão Católica Ave Maria]

Neste caso, há dois pontos a serem observados:

a) Jesus, com certeza, citaria a Torah, tanto pelo grau de importância como por ser o escrito mais antigo. Muito provavelmente o versículo usado no livro de Sabedoria também faz referência a Deuteronônio.

b) Na própria versão Ave Maria, que é utilizada nas citações, há uma referência explícita a [Dt 8:3] em [Mt 4:4], porém o site que traz esta versão on-line publica a referência de [Mt 4:4] = [Sb 16:26]. Já outros sites citados colocam a referência de [Mt 4:4] = [Dt 8:3], porém Deuteronômio não é deuterocanônico.

2) Mt 4:15 = 1Mc 5:15;

“A terra de Zabulon e de Neftali, região vizinha ao mar, a terra além do Jordão, a Galiléia dos gentios,” [5] [Mt 4:15 – Versão Católica Ave Maria]

“dizendo: Congregaram-se contra nós nações de Ptolemaida, de Tiro, de Sidônia, e de toda a Galiléia das Nações, para nos destruir inteiramente.” [6] [1Mc 5:15 – Versão Católica Ave Maria]

Aqui, mais uma vez, temos um texto parecido.

Porém, a referência correta para [Mt 4:15] é [Is 9:1].

“O povo que andava nas trevas viu uma grande luz; sobre aqueles que habitavam uma região tenebrosa resplandeceu uma luz.” [7] [Is 9:1 – Versão Católica Ave Maria]

Você poderia me perguntar, e até com alguma razão inicial, o que tem a ver este texto com Mt 4:15, visto que não cita nenhuma das terras que constam no versículo.

Temos duas questões novamente para tratarmos:

a) A versão Ave Maria “comeu” um trecho do versículo, porém se formos olhar na tradução Vulgata Latina: “primo tempore adleviata est terra Zabulon et terra Nepthalim et novissimo adgravata est via maris trans Jordanem Galileæ gentium” [8] temos um versículo mais próximo deste: “Mas a terra, que foi angustiada, não será entenebrecida; envileceu nos primeiros tempos, a terra de Zebulom, e a terra de Naftali; mas nos últimos tempos a enobreceu junto ao caminho do mar, além do Jordão, na Galiléia das nações.”[9] [Versão ACF]

b) Os versículos anteriores [Mt 4:13-14] e o posterior [Mt 4:16] desqualificam qualquer outro tipo de referência e esclarecem totalmente a que livro tal citação refere-se:

“Deixando a cidade de Nazaré, foi habitar em Cafarnaum, à margem do lago, nos confins de Zabulon e Neftali, para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías: A terra de Zabulon e de Neftali, região vizinha ao mar, a terra além do Jordão, a Galiléia dos gentios, este povo, que jazia nas trevas, viu resplandecer uma grande luz; e surgiu uma aurora para os que jaziam na região sombria da morte (Is 9,1).” [10] [Mt 4:13-16]

Mais uma vez, a própria tradução católica faz referência a outro livro, que não o apresentado como sendo o apócrifo que é citado no Novo Testamento.

Seria por demais enfadonho analisar citação por citação para desmascará-las todas. Ao constatarmos esta tentativa de operação do engano logo nas duas primeiras referências podemos concluir que tais citações não passam de uma tentativa desesperada de atribuir crédito ao que não é digno de crédito.

Na ânsia de validar um cânon que possui livros e adicionais que atacam os princípios do próprio Deus que dizem inspirar tais livros, infelizmente ocorrem tentativas como estas que transformam pessoas de intenções verdadeiras, mas que são enganadas por uma doutrina equivocada em mensageiros da mentira, por ignorância.

Notas

[1] http://www.bibliacatolica.com.br/historia_biblia/57.php
[2] http://www.bibliacatolica.com.br/01/47/4.php
[3] http://www.bibliacatolica.com.br/01/27/16.php
[4] http://www.bibliacatolica.com.br/01/5/8.php
[5] http://www.bibliacatolica.com.br/01/47/4.php
[6] http://www.bibliacatolica.com.br/01/22/5.php
[7] http://www.bibliacatolica.com.br/01/29/9.php
[8] http://www.bibliacatolica.com.br/09/29/9.php
[9] http://www.irmaos.com/bibliaonline/?busca=Is 9:1&version=3
[10] http://www.bibliacatolica.com.br/01/47/4.php

 

Livros apócrifos mencionados na Bíblia, mas perdidos

 

Teriam os livros bíblicos, chamados Apócrifos, informações secretas e fantásticas capazes de modificar nossa visão dos Ensinamentos de Cristo para a humanidade?

Se não, então por que foram extirpados abruptamente da Bíblia? Reconhecemos que sem uma Chave, nenhum livro sagrado pode nos dar as informações necessárias para a autorrealização espiritual, mas seu conhecimento esclareceria inúmeros pontos doutrinários da Sabedoria Crística.

Observe em seguida a lista, possivelmente completa, dos livros “perdidos” da Bíblia.

Velho Testamento

1. Livro do Convênio (Êxodo 24:4, 7)

2. Livro das Guerras (Números 21:14)

3. Livro de Jasher (Josué 10:13) e (2 Samuel 1:18)

4. Livro dos Estatutos (1 Samuel 10:25)

5. Livro dos Atos de Salomão (1 Reis 11:41)

6. Livro de Natã (1 Crônicas 29:29) (2 Crônicas 9:29)

7. Livro de Gade (Mesmo do número 6)

8. Profecias de Aías (2 Crônicas 9:29; 2:15; 13:22)

9. Visões de Ido (Mesmo do número 8)

10. Livro de Semaías (2 Crônicas 12:15)

11. Livro de Jeú (2 Crônicas 20:34)

12. Atos de Uzias, Escrito por Isaías (2 Crônicas 26:22)

13. Livros dos Videntes (2 Crônicas 33:19)

14. Profecias de Enoque Jude 14

15. Comentários de Mateus de Nazaré (Mateus 2:23)

Escritos perdidos do Novo Testamento (ou seja, somente mencionados, mas infelizmente totalmente perdidos)

16. Epístola Perdida de Paulo (1 Coríntios 5:9)

17. Segunda epístola perdida de Paulo (Efésios 3:3-4)

18. Terceira epistola perdida de Paulo (Colossenses 4:16)

19. Epístola perdida de Judas

Os livros da Bíblia Apócrifos (Escritos do Velho Testamento)

20. Tobit

21. Judite

22. Adição do livro de Ester

23. Sabedoria de Salomão

24. Eclesiásticos ou a Sabedoria de Jesus

25. Baruque

26. A Carta de Jeremias

27. Oração de Azarias

28. Canção dos Três Judeus (estes são os livros perdidos de Daniel)

29. Susana

30. Sino e o Dragão

31. I Macabeus

32. II Macabeus

33. III Macabeus

34. IV Macabeus

35. I Esdras

36. II Esdras

37. Oração de Manassés

38. Salmo 151

Novo Testamento

Escrito do Novo Testamento que foi eliminado, mas mencionado

39. Livro de Maria

Os seguintes textos perdidos são mencionados em História Eclesiástica, de 337 d.C., pelo bispo Eusébio de Cesaréia, o qual os suprimiu por considerá-los “heresias”.

40. Atos de Paulo

41. Atos de André

42. Atos de João

43. O Proto-Evangelho

44. Infância I

45. Infância II

46. Cristo e Abgarus

47. Nicodemos

48. O Credo dos Apóstolos

49. Laodiceanos

50. Paulo e Sêneca

51. Paulo e Theca

52. Revelação de Pedro

53. Epístola de Barnabas

54. O Evangelho Perdido de Acordo com Pedro

55. Evangelho de Tomé

56. Evangelho de Matias

57. Clemente I

58. Clemente II

59. Efésios II

60. Magnésios

61. Tralianos

62. Romanos II

63. Filadelfos

64. Smaraneas

65. Policarpo

66. Filipenses (II)

66. Evangelho referido somente pela letra Q

Algumas destas podem ser referência nos escritos por Marcion, 150 d.C., e Muratória, 170 d.C.

67. Sheppard de Hermas

68. Hermas I (Visões)

69. Hermas II (Mandamentos)

70. Hermas III

71. Cartas de Herodes e Pilatos (Ref. para o julgamento de Cristo)

Os seguintes são uma lista de Escritos Apócrifos que não mais existem; no entanto, eles são mencionados e referidos em outros, mais recentes, no século 4º d.C.

72. O Evangelho de André

73. Outos livros abaixo de André

74. Evangelho de Afiles

75. O Evangelho de Acordo com os Doze Apóstolos

76. O Evangelho de Barnabé

77. Os Escritos de Bartolomeu, o Apóstolo

78. O Evangelho de Bartolomeu

79. O Evangelho de Basilides

80. O Evangelho de Cernithus

81. A Revelação de Cernithus

82. Uma Epístola de Jesus Cristo para Pedro e Paulo

83. Vários outros livros abaixo do nome de Cristo

84. Uma Epístola de Cristo (produzido por Maniqueu)

85. Um Hino, ensinado por Cristo para seus Discípulos

86. O Evangelho de Acordo com os Egípcios

87. Os Atos dos Apóstolos II

88. O Evangelho de Ebionitas

89. O Evangelho de Encratites

90. O Evangelho de Eva

91. O Evangelho de Acordo com Hebreus (ou Hebreus II)

92. O Livro de Helkesaites

93. O Falso Evangelho de Hesíquius

94. O Livro de Tiago

95. Os Atos de João

96. Evangelho de Jude

97. Evangelho de Acordo com Judas Iscariotes (recentemente descoberto, causando furor no meio teológico. Para saber mais sobre o Evangelho de Judas Iscariotes, clique aqui.)

98. Atos do Apóstolo Leucius

99. Atos do Apóstolo Lentitus

100. Atos do Apóstolo Leontius

101. Atos dos Apóstolos Leuthon

102. Os Falsos Evangelhos, publicado por Lucianus

103. Atos dos Apóstolos (usado por Manichees)

104. O Evangelho de acordo com ou de Marcion

105. Livros abaixo de Mateus:

- O Evangelho de Matias
- As Tradições de Matias
- O Livro de Matias
- O Evangelho de Merinthus

106. Evangelho de Acordo com os Nazarenos

107. Os Atos de Pedro e Thecla

108. As Pregações de Pedro e Paulo

109. As Revelações de Paulo

110. O Evangelho da Perfeição

111. Atos Adicionais de Pedro

112. A Doutrina de Pedro

113. O Evangelho de Pedro (não confundir com o Evangelho de acordo com Pedro)

114. O Julgamento de Pedro

115. As Pregações de Pedro

116. As Revelações de Pedro

117. Os Atos de Filipe

118. O Evangelho de Filipe

119. O Evangelho de Scythianus

120. Os Atos dos Apóstolos, por Seleucus

121. A Revelação de Estêvão

122. O Evangelho de Titan

123. O Evangelho de Tadeu

124. Os Atos e o Evangelho de Tomé

125. O Evangelho da Verdade

126. Contra a Heresia

Números 66 (abaixo) e 72 a 126 somente existem nas referências, eles nunca foram encontrados, mas estão sendo ou foram conhecidos. Conhecidos porque muitos cristãos antigos referiam-se a eles em suas cartas (não oficiais, como as Epístolas) e outros tantos escritos religiosos. Alguns eruditos ainda debatem a legalidade destes escritos:

Modernas descobertas de textos considerados totalmente perdidos

Escrituras Bíblicas

127. Livro de Moisés

128. Livro de Abraão (127 e 128, foram encontrados em tumbas egípcias em 1830)

129. Profecia de José do Egito 2 Néfi 3

130. Profecia de Zenoque 1 Néfi 19

131. Profecia de Neum (mesmo # 130)

132. Profecia de Zenos (mesmo # 130)

 

 

Fonte:

http://www.napec.org

http://www.gnosisonline.org